sábado, 29 de outubro de 2016

A Decisão







La estava ela.... Debruçada na mesma janela, pensando em  possíveis escolhas. 
Seu coração, sempre selvagem, precisou esperar muito para afoitar-se em algum tipo de romance, nascido das suas loucas fantasias noturnas. 
Suas experiências, embora vestidas de brilho, se tornaram opacas em tão pouco tempo.Qualquer aproximação mais íntima, lhe causava um transtorno emocional, fazendo-a recuar e afundar-se em seu mundo introspectivo
Em sua maturidade, se viu numa situação tão ambígua e sabia que seria sua última chance de aparecer numa história de romance como astro. Se perdesse, estaria confinada a participar de pontas em outras histórias que não a sua própria.
Se desligando temporariamente da realidade,ponderava entre suas linhas ... E  então? Como decidir? Continuar com uma rotina familiar, tranquila, ou algo totalmente assustador. Um tipo de vida que me perpetraria brigar  todos os dias com o espelho por ele não reproduzir mais a imagem da moça bonita, me atassalhar  para estar mais jovial, bela, entusiasmada, cheia de projetos no qual já realizei?Ou aceitar os confortáveis chinelos cobertos de lãs, roupões, tevês, e adormecer todas as tardes no sofá sem culpa.      
Olhando em sua volta, observou ao lado da cadeira, o já famoso roupão, aquele que a abraçava todas as noites antes de dormir e logo a baixo, os seus chinelos de lã que aquecia seus pés nas noites frias.
Suspirou porque tudo aquilo lhe era tedioso e  foi andar pela casa a procura de alguma resposta que a fizesse desistir de tamanha loucura. 
Preparou seu café como se fosse o primeiro do dia, sentou-se na sua poltrona com o abajur ligado e se entregou aos seus devaneios.
Seus pensamentos lhe traziam alegria, emoção, fantasia, vontade de nascer, sair pelas ruas, passear, se aventurar e foi então que decidiu aceitar aquele convite para sair, escrito com tão mágicas linhas que a tiraram do seu chão.
Os dias passaram, o sol mudou de lado, o vento frio voltou a bater em sua janela e seus pés calçaram os chinelos confortáveis de lã. Seu rosto muito mais triste não entendia o porquê dele nunca ter retornado a sua resposta...




3 comentários:

  1. Lendo, me dei conta que estava com saudades de ti, que escreve muito bem, me sinto tão próxima... saudades dessa sensação. obrigada vou vir mais vezes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi querida..........obrigada pelo recadinho...foi uma surpresa muito boa....e vamos diminuir na cintura rsrsrsrsrs

      Excluir