segunda-feira, 21 de abril de 2014

Você que habita comigo





Quem habita comigo nas madrugadas de insônia quando a chuva cai furiosa, o vento choroso incansável se exprime pelas frestas da janela, os pensamentos pesados invadem minha cabeça?  Quando debilitada  pela inércia da noite me  sinto derrubada  com vontade de desistir,de me entregar ao desconhecido e gritar....."Toma conta de mim."
Quando a fragilidade toma conta da minha cártula pintada de humana e me faz abrir a tampa e sair de mim, vagar, procurar meu espaço entre as estrelas que é o lugar onde o onipotente está.
Você que tudo pode. Pode tudo! inclusive curar o mundo que está  febril.Que se congelou pela ausência de sentimentos altruístas, se calou das verdades libertadoras,se afoga pela falta de misericórdia e se queima numa combustão espontânea pelos atos de terrorismo.
Não olhe mais por nós. Haja por nós, descruze nossos braços, destrava nossa boca, enche nossos corações com coragem, nos dê um escudo, seja nossa espada e nos coloque na frente da batalha.
E no anoitecer, ao findar o combate, vitoriosos, nos sentir seguros e descansar nos seus braços esplendidos.
...a chuva parou, o vento acalmou,deixou uma brisa suave e perfumada, com uma fragrância de terra molhada.
Quanto a nos colocar em frente à batalha?
Quem sabe num outro dia de chuva, quando o vento forte voltar a zunzunar nos meus medos noturnos....



2 comentários:

  1. a note é mesmo cenário de nossos medos... mas eu prefiro que seja das minhas inspirações.

    um bj, eva. :)

    ResponderExcluir